Apostolado da Oração

O Apostolado da Oração nasceu num Seminário da Companhia de Jesus, em Vals, perto de Le Puy, na França. No dia 03 de dezembro de 1844, festa de São Francisco Xavier, o Pe. Francisco Xavier Gautrelet, SJ, explicou aos jovens estudantes seminaristas, animados de zelo pelas missões, como as orações e sacrifícios poderiam levar preciosíssimo auxílio àqueles que trabalhavam já na seara do Senhor.

As ideias propostas naquela exortação espiritual que deram origem ao Apostolado da Oração foram imediatamente concretizadas por aqueles jovens, dentro do colégio. Divulgadas, depois, por alguns sacerdotes nas regiões vizinhas, em breve se tornaram conhecidas em toda a França e não tardaram a ser levadas às outras nações.

Para difundir estas ideias, o Pe. Gautrelet sugeriu uma pequena organização, que levou o nome de “Apostolado da Oração”. Foi aprovada pelo Bispo de Le Puy, e o Papa Pio IX concedeu-lhe, em 1849, as primeiras indulgências.

Mas a divulgação do Apostolado da Oração (AO) no mundo deve-se, sobretudo, ao Pe. Henrique Ramière, SJ. Foi ele o grande organizador e promotor do AO. Em numerosos artigos e escritos, explicou amplamente e, de maneira acessível, a doutrina do AO, e deu à obra uma forma definitiva.

Em 1861, publicou um livro intitulado “O Apostolado da Oração, santa Liga de corações cristãos unidos ao Coração de Jesus”. Era uma reedição ampliada de um opúsculo anteriormente publicado pelo Pe. Francisco Xavier Gautrelet.

No mesmo ano, começou a publicação de uma revista mensal intitulada Mensageiro do Coração de Jesus, que rapidamente se difundiu em todas as nações, nas respectivas línguas: na Itália em 1864; na Áustria no ano seguinte; nos Estados Unidos e na Espanha em 1866; na Colômbia e na Hungria em 1867; na Inglaterra em 1868; na Holanda e na Bélgica em 1869 etc. No Brasil a primeira revista foi publicada no ano de 1896.

Quando o Pe. Henrique Ramière morreu, em 1883, o AO contava no mundo todo com 35.600 centros com mais de 13 milhões de associados.

 

O Apostolado da Oração no Brasil

No Brasil, o primeiro centro do AO foi fundado dia 30 de junho de 1867, em Recife (PE), na igreja de Santa Cruz, cuidada então pelos padres jesuítas, chegados a Pernambuco em 1865. O Pe. Bento Schembri, SJ, foi seu fundador e primeiro diretor. Foi um centro local e isolado.

No dia 1º de outubro de 1871, o Pe. Bartolomeu Taddei, missionário jesuíta recém-chegado da Itália, fundou o primeiro centro do AO na cidade de Itu (SP), fundando logo outros centros em nível diocesano e nacional pelo Brasil afora. Por essa razão, o Pe. Bartolomeu Taddei é considerado o fundador e o propagador no Brasil. Nomeado Diretor Nacional, Pe. Taddei estendeu o AO a todos os estados, de tal forma que o Cardeal D. Sebastião Leme afirmou que “o renascimento espiritual do Brasil é obra do AO”.

No dia 1º de junho de 1896, Pe. Taddei conseguiu superar todas as dificuldades e lançar o primeiro número da revista Mensageiro do Coração de Jesus, como revista de formação cristã e órgão oficial do AO. Além disso, com a colaboração fervorosa do AO, Pe. Taddei realizou o Primeiro Congresso Católico Brasileiro, em 1900, na Bahia, completado com o Congresso de São Paulo e o do Rio de Janeiro. Esses congressos prepararam o caminho para a Ação Católica e para a Ação Social em nosso país.

Intensificando a vida eucarística e a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, o AO revitalizou por toda a parte a vivência do cristianismo, tanto individualmente como nas famílias (por meio da consagração das famílias), através da consagração de municípios, de cidades, de estados e de todo o Brasil. A consagração do nosso país ao Sagrado Coração de Jesus foi realizada oficialmente por ocasião do 36º Congresso Eucarístico Internacional celebrado em 1956 no Rio de Janeiro.

Pe. Taddei faleceu dia 3 de junho de 1913, em Itu, junto ao Santuário do Coração de Jesus, por ele edificado, deixando em pleno funcionamento 1.390 centros do Apostolado da Oração espalhados por todo o Brasil, com milhares de associados.

Após a morte do Pe. Taddei, o novo secretário nacional foi o Pe. Aloísio Yábar, que permaneceu na função até 1926, sendo substituído pelo Pe. Emmanuel Gabinio de Carvalho até o ano de 1940.

O Apostolado da Oração foi crescendo sempre mais e se espalhando pelo país. De 1941 a 1963 o secretário nacional foi o Pe. José da Frota Gentil que muito contribui também para o crescimento do Apostolado. O seu sucessor, Pe. José Tarcísio Camargo de Barros, assumiu a missão entre os anos de 1964 a 1974. Ele foi substituído por Pe. Maurilo Donato Sampaio no ano de 1977.

Entre os anos 1978 a 2006 quem esteve na função foi o Pe. Roque Schneider, SJ, incansável apóstolo que muito contribuiu para a organização e visibilidade do AO. Sendo secretário nacional por quase 30 anos, visitou a maioria dos centros do AO e animou a fundação de tantos outros. A revista Mensageiro também cresceu, ultrapassando a marca de 100 mil de assinantes. Foi também ele um grande incentivador no Movimento Eucarístico Jovem (MEJ).

Em 2007, o seu substituto foi o Pe. Otmar Jacob Schwengber, SJ, permanecendo até o final de 2014. Pe. Otmar também visitou muitos centros do AO pelo país, criou a Sede Nacional do AO-MEJ em São Paulo, ajudou a promover a “Recriação” do Apostolado, proposta pelo Papa Francisco e pela direção Internacional.

Em dezembro de 2014, foi nomeado como diretor nacional o Pe. Eliomar Ribeiro de Souza, SJ. A ele foi pedido para continuar a missão de seus predecessores com ênfase sobretudo na implementação do processo de “Recriação” da Rede Mundial de Oração do Papa. Na celebração dos 100 anos do MEJ e dos 170 anos do AO, a nomeação do Pe. Eliomar Ribeiro reforçou o desejo da Companhia de Jesus no Brasil de animar e fortalecer a missão tanto do MEJ quanto do Apostolado da Oração nas Dioceses e Paróquias.

O itinerário espiritual oferecido no processo de recriação é o “Caminho do Coração”, para ajudar as pessoas a rezar e a compreender melhor o que significa se consagrar ao Coração de Jesus no Apostolado da Oração.

Em 2018, o Papa Francisco promulgou os novos Estatutos da Rede Mundial de Oração do Papa, que inclui também o MEJ, transformando o Apostolado da Oração em “serviço eclesial”, deixando, portanto, de ser uma “associação de fiéis leigos”. Hoje, a Igreja no Brasil, conta com uma multidão de membros em todas as dioceses. O MEJ também vai crescendo e integrando tantos jovens que querem viver ao estilo de Jesus.

Anualmente, na Romaria Nacional ao Santuário de Aparecida (SP), milhares de apóstolos e apóstolas do Coração de Jesus renovam o seu desejo de continuar sendo “sal da terra e luz do mundo” para manter acesa no coração da Igreja a chama da oração, pois como afirmou o Papa Francisco na celebração dos 175 da fundação do Apostolado, “a oração é o coração da missão”.

Cúria Diocesana

Praça Cesário Alvim, 156 - Centro Caratinga (MG) - Cep: 35.300-036

Contatos

(33) 3321-4600 Telefone e WhatsApp chancelaria@diocesecaratinga.org.br

Funcionamento

Segunda-feira a Sexta-feira 08h às 11h e 13h às 17h